Paço Episcopal

37° 0' 49.8" N, 7° 56' 6" W

 


Faro: Sede de Bispado
Construção e Re-Construções do Paço Episcopal



Faro: Sede de Bispado

A 20 de Outubro de 1539 é aprovado pelo Papa Paulo III e pelo Rei D. João III o pedido do Bispo do Algarve D. Manuel de Sousa para a transferência da Sede Episcopal de Silves para Faro. Porém, apenas 38 anos mais tarde, a 30 de Março de 1577 é que esta se vem a concretizar. 8 anos depois de transferida a sede, é finalizada a construção de um Paço episcopal, hoje conhecido por Paço D. Afonso de Castelo Branco por ter sido o primeiro bispo aqui a residir – parte norte do Seminário de S. José.


Construção e Re-Construções do Paço Episcopal

Em 1596, as tropas inglesas do Conde de Essex, Robert Devereux, desembarcam perto de Faro saqueando cidades, roubando preciosidades como a biblioteca do Paço Episcopal e também um pentateuco, o primeiro livro impresso em Portugal (em Faro). Por falta de interesse nestas obras, o Conde ofereceu-as ao seu amigo Thomas Bodley, hoje incluídas na Biblioteca Bodleyana em Oxford. Além deste saque incendiou a cidade deixando-a praticamente reduzida a escombros, incluindo o paço episcopal.

Dois anos depois é construído o novo edifício Paço Episcopal a mando do então Bispo D. Fernando Martins Mascarenhas.

No séc. seguinte, nos anos 1670's, o Bispo D. Francisco Barreto II amplia as instalações e no bispado seguinte, de D. Simão da Gama, são continuadas as obras de ampliação e renovação.

Em 1741, o antigo Paço passa a servir também de internato para os alunos do Colégio São Tiago Maior, colégio este pertencente aos Jesuítas a quem a Santa Sé tinha entregue o ensino do clero. Poucos anos depois, com D. José I no trono e Sebastião de Melo no governo, os jesuítas são expulsos do país num decreto assinado pelo rei a 03-09-1759.

Como consequência do terramoto de 1755 e posterior maremoto, o Paço sofre bastantes danos sendo então reconstruído pelo Bispo D. Frei Lourenço de Santa Maria. Alguns anos mais tarde, a 1786, no bispado de D. André Teixeira Palha, é criado o retábulo da capela do Paço.

O novo Paço Episcopal tem ligação interna ao Seminário de S. José pelo 1º andar através de um arco que atravessa o início da Rua Monsenhor Boto.





Obras consultadas

Livros:
- Faro edificações notáveis – Francisco Lameira, Câmara Municipal de Faro, 1995
- Memória de Portugal, o milénio português de Roberto Carneiro e Artur Teodoro de Matos, 2001
- O Algarve por J.Mimoso Barreto, 1972
Sites:
- Jesuítas.pt
- arqnet.pt – O portal da História
- diocese-algarve.pt
- seminário.diocese-algarve.pt
- radix.cultalg.pt (Ministério da Cultura)
- elizabethan-era.org.uk